Divulgação defesa de dissertação

10 de julho de 2018

DISCENTE: ESRAELDA AMARAL DE ARAÚJO

DATA: 27/07/2018

HORA: 08:30

LOCAL: Sala graviola-Embrapa Agroindústria Tropical

TÍTULO:
Interação porta-enxerto e copa de cajueiro quanto a tolerância ao alumínio

PALAVRAS-CHAVES:
Anacardium occidentale L.; Enxertia; Produção de mudas; Sistema de raízes.

PÁGINAS: 71

GRANDE ÁREA: Ciências Agrárias

ÁREA: Agronomia

SUBÁREA: Ciência do Solo

RESUMO:
A utilização de genótipos de cajueiro (Anacardium occidentale L.) tolerantes ao alumínio pode ser uma estratégia importante para aumentar a produção da cultura em regiões com predomínio de solos com reação ácida, baixa disponibilidade de nutrientes e altas concentrações de alumínio trocável. Objetivou-se verificar a influência da enxertia e a interação porta-enxerto e copa de genótipos de cajueiro quanto à tolerância ao alumínio. Para isso, foram conduzidos dois experimentos com mudas de cajueiro, sendo o primeiro para a avaliação de três genótipos (CCP 06, CCP 09 e CCP 76), dois tipos de mudas (pé-franco e auto-enxertada), cultivados na ausência e na presença de alumínio (30 mg L-1 de Al) e seis repetições; e o segundo para avaliação de três genótipos como porta-enxertos (CCP 06, CCP 09 e CCP 76), três como copas (CCP 76, Embrapa 51 e BRS 226), cultivados na ausência e na presença de alumínio e seis repetições. As mudas foram produzidas no Campo Experimental de Pacajus e os experimentos foram conduzidos em telado localizado na Embrapa Agroindústria Tropical, em Fortaleza. Foram utilizados vasos contendo areia lavada e solução nutritiva sem e com alumínio. Cento e dez dias após o início da aplicação do alumínio, as plantas foram avaliadas quanto a altura, o diâmetro do caule, número de folhas, área foliar, matéria seca da parte aérea (caule e folhas) e das raízes e relação parte aérea:raízes. Nos dois experimentos, a presença do alumínio na solução nutritiva afetou negativamente todas variáveis avaliadas. Com os dados obtidos foi possível concluir que a enxertia aumentou a tolerância de genótipos de cajueiro ao alumínio, em relação as mudas de pé-franco. A utilização do genótipo de cajueiro CCP 09 como porta-enxerto e da copas CCP 76 e Embrapa 51 resultaram em maior tolerância ao alumínio.

MEMBROS DA BANCA:
Presidente – 220.922.528-01 – ADRIANA GUIRADO ARTUR – UFC
Externo à Instituição – LUIZ AUGUSTO LOPES SERRANO – EMBRAPA
Interno – 667.800.398-53 – WILLIAM NATALE – ESALQ

Segunda Dissertação

Título da Dissertação:”Interação porta-enxerto e copa de cajueiro quanto a tolerância ao alumínio”;
Autor(a): Esraelda Amaral de Araújo;
Data, horário e local: Dia 27 de julho de 2018, às 8h30min, na sala graviola da Embrapa Agroindústria Tropical;
Orientadora: Profa. Dra. Adriana Guirado Artur;
Banca Examinadora:
-Profa. Dra. Adriana Guirado Artur, Bolsista de Pós-Doutorado, CNPq, vinculada à Embrapa Agroindústria Tropical
-Prof. Dr. William Natale, do Departamento de Fitotecnia da UFC
– Dr. Luiz Augusto Lopes Serrano, Pesquisador da Embrapa Agroindústria Tropical

Fonte: Diretoria do Centro de Ciências Agrárias – Fone: 85 3366 9732