O CCA dá sequência à avaliação externa

24 de outubro de 2011

Desde a apresentação do Relatório da Avaliação Externa na Casa de José de Alencar, em 29 de agosto, a agenda de encaminhamentos tem sido bastante movimentada. Ainda em setembro, o então Diretor, Prof. Sebastião Medeiros Filho, reuniu dirigentes e distribuiu CDs contendo o Relatório e os anexos, solicitando ampla divulgação.

Em seguida, no dia 20 de setembro, o Diretor e a Vice-Diretora eleitos, Prof. Luiz Antônio Maciel de Paula e Profa. Sônia Oliveira, realizaram reunião com os Coordenadores de cursos de graduação, oportunidade na qual foram estabelecidos os seguintes encaminhamentos: a) criar Grupos de Trabalho em cada curso para atualizar ou elaborar os Projetos Político-Pedagógicos (PPPs) e b) realizar Seminário sobre Diretrizes Curriculares e Projetos Político-Pedagógicos.

Durante reunião com os Chefes de Departamentos, realizada em 30 de setembro, os professores Luiz Antônio e Sônia Oliveira reafirmaram que o eixo estratégico para Graduação será a implementação dos PPPs e solicitaram apoio dos chefes para o cumprimento das metas.

Como parte da programação, o Seminário sobre Diretrizes Curriculares e Projetos Político-Pedagógicos aconteceu no dia 11 de outubro e contou com palestras do Prof. Roberto Cláudio F. Bezerra (Instituto Educar) e do Prof. Custódio Almeida (Pró-Reitor de Graduação), seguidas de proveitosa discussão. O Seminário contou com a presença de 33 membros dos Colegiados de Graduação (Coordenadores das Unidades Curriculares), além de Secretários de Cursos de Graduação e outros interessados.

RECOMENDAÇÕES – O diagnóstico do Instituto Educar, decorrente da avaliação, enfeixou em quatro pontos centrais as ações a serem implementadas. A primeira delas diz respeito à procura dos alunos pelos cursos do CCA. Os baixos níveis dessa procura, com relação a outros cursos da UFC, estaria associada às atuais restrições do mercado de trabalho para os egressos, a alguns estrangulamentos no sequenciamento natural das disciplinas, o que provoca uma baixa taxa de conclusão, e a uma visão limitada da importância dos profissionais da área no processo de desenvolvimento da sociedade.

O segundo ponto a ser enfrentado é o projeto político-pedagógico dos diversos cursos. Não existe, nos cursos de graduação do CCA, um projeto político-pedagógico que, baseado na concepção oferecida pelas novas diretrizes curriculares, procure transcender a um simples encadeamento de disciplinas, avaliou o Instituo Educar.
Essa transcendência exige um conhecimento maior das potencialidades da área no processo de desenvolvimento do Estado, obtido com amparo em uma forte interação com os agentes institucionais externos, como também a definição de uma “identidade” para cada um dos cursos do CCA.

O terceiro ponto a ser enfatizado é o da cooperação acadêmica dentro da UFC no que se refere à oferta das disciplinas de graduação, devendo existir um formato de mão dupla, que envolva tanto os solicitantes quanto os que ofertam disciplinas para os cursos.

O quarto ponto é o da maior inserção dos egressos no mercado de trabalho, o que implica maior conhecimento do Centro de Ciências Agrárias sobre a realidade atual da área de agrárias no mundo do trabalho, nas instituições promotoras e implementadoras das políticas públicas.

Fonte: Diretoria do CCA e Coordenadoria de Comunicação Social e Marketing Institucional da UFC